... may our thoughts never be against our feelings...

sábado, julho 30, 2005

Sonho duma noite de verão


- Acordei a pensar em ti – disseste


- Tiveste apenas um sonho – respondi

- Não. Acordei com vontade de ti ... de novo – afirmaste

- Vontade daquele dia em que a noite foi mais longa que a eternidade?
– perguntei


- Sim. Foi isso – confirmaste

- Então, não pensaste em mim nem me desejas. Apenas me recordaste!

28 Julho 2005
Nina

sentido por Ninagasol às 6:03 da tarde | |

quarta-feira, julho 27, 2005

O Caminho

"Sobe por essa escada solta
Sem fim, sobe por ela devagar,
Passo a passo, devagar sobe por ela
Escada solta sem corrimão.
Sobe-a com cuidado, olhos abertos
Degrau a degrau sem corrimão, nesta escada solta,
Faltam-lhe degraus! Terás que saltar
Os que faltarem nessa escada solta…
Sem corrimão…Sem degraus…"
sentido por I Am No One às 3:26 da tarde | |

segunda-feira, julho 25, 2005

Hummf....

Um dia, um dia em que eu não saiba que dia é… um dia daqueles como o de hoje meio cinzento, ou não! Espere, um daqueles com um sol enorme a brilhar, toda a gente cheia de calor… bom… um dia daqueles com 24 h, é… pode ser um desses… se tiver… se faz favor… Não tem? Olhe e está à espera de receber? Talvez para a semana… está bem… eu vou passando por cá… Obrigado na mesma…
sentido por I Am No One às 12:20 da tarde | |

quinta-feira, julho 21, 2005

Notas Breves de uma viagem de comboio :


[Abre o bloco]

Papel reciclado 40cent… bela compra… :) (Nota de autor : não sei porquê mas digo sempre isto quando olho para o bloco, é isso e admirar o desenho que fiz na primeira pagina…:s)

Longas são as noites de olho aberto quando o resto do corpo definha por descanso…

Tenho que refrear esta vontade de querer entender tudo…
[Miro indecentemente o jornal do sr. ao meu lado]
Querem perdoar a divida dos países pobres sem lhes dar possibilidade de ganhar dinheiro… daqui a 20 anos estamos a perdoar-lhes a divida outra vez… e se morrem crianças de 3 em 3 s quantas terão morrido até lá?... (sono demais para fazer contas, já pareço o outro com o pib…). Eles levam com tudo o que é mau… até lhes tiramos a possibilidade de ele próprios terem o poder de poluírem… compram-se quotas de poluição desde kyoto, invade-se os mercados locais com produtos excedentes e depois querem que os homens ganhem dinheiro…

E aqueles "gajos" acabaram com o ballet a Gulbenkian… Será para melhor? Não deixa de ser um desgosto, para quem lá estava a trabalhar e para quem assistia…
[esqueço o jornal do sr.]

Hoje não consigo manter um pensamento por mais que meia dúzia de linhas… isto enerva-me… Chega!!!!!

[Fecha o bloco]

:) o bloco... 40 cent... :s
sentido por I Am No One às 2:53 da tarde | |

segunda-feira, julho 18, 2005

Para ti

Há pessoas que passam por nós como brisas frescas de um fim de tarde escaldante… E as marcas que deixam na nossa existência são de uma subtileza tal que nada as apaga nem mesmo as lágrimas da saudade. Nestes casos as nossas lágrimas mais não são que resquícios do desejo secreto de termos sido o mesmo que elas…
sentido por I Am No One às 4:04 da tarde | |

Que viagem é essa?

Que viagem é essa?
Que partes na procura
Dos sonhos perdidos
Numa ânsia de fuga
Dos momentos doridos
Para onde vais?
Porque não paras aqui?
Não estás a ir longe demais?
Já ninguém te sente a ti
Que viagem é essa?
Estás numa fuga de fugir
Para quê essa pressa?
Nunca matarás o sentir...

18 Julho 2005
Nina

sentido por Ninagasol às 12:11 da tarde | |

quarta-feira, julho 13, 2005

A lâmina voltou a encostar na pele e o sangue voltou a "fugir" como que rejeitando quem o prendia.

Algumas coisas não mudam nunca…
sentido por I Am No One às 2:33 da tarde | |

quarta-feira, julho 06, 2005

Vontade


Na vontade de te querer

E saber que me desejas
Surge um receio imenso
E o medo de que não vejas
Que a tua boca procurou a minha
Que a minha pele desejou a tua
Mas nem o poder da lua
Nos poderá enlaçar
Apenas nos entregámos
Naquele acto de amar
Em que dois corpos foram só um
E lentamente nos trocámos
Sem pensamento algum
Com o sentimento todo
E o desejo de só desejar.
Espero que agora vejas
Que não poderemos voltar...

6 Julho 2005
Nina
sentido por Ninagasol às 1:09 da tarde | |

sexta-feira, julho 01, 2005

Um bocado de mim na caneta de outro II

"Durante a noite
A casa geme agita-se aquece e arrefece
No interior frio do olho da tua sombra sentada
Na cadeira aparentemente vazia

Esperas acordado sem sono
Que a temperatura da casa funda
Cp, a temperatura incerta do mundo
Depois
Escreves exactamente isto : o horror dos dias
Secou contra os dentes – e rouco
Dobrado para dentro do teu próprio pensamento
Ferido
Atravessas as sílabas diáfanas do poema

Levantas-te tarde
Atordoado
Para extinguires o lume ateado
Junto à memoria da casa – respiras fundo
Para que o gelo derreta e afogue
A vulgar noite do mundo

Olhas-te ao espelho
Atribuis-te um nome um corpo um gesto
Dormes
Com a árvore da saliva das ilhas – com o vento
Eu arrasta consigo esta chuva de fósforo e
Estes presságios de tranquilos ossos"

Casa - Al Berto
sentido por I Am No One às 4:28 da tarde | |