... may our thoughts never be against our feelings...

sexta-feira, dezembro 31, 2004

2005


As maiores felicidades e que os sonhos de cada um se possam realizar.

Que os pensamentos nunca contrariem os sentimentos!!!
FELIZ ANO 2005 PARA TODOS.


sentido por Ninagasol às 11:49 da manhã | |

quinta-feira, dezembro 30, 2004

decisão

"Na minha mão,
suja de pó,
jaz a decisão
de estar só.

Só contigo
só com o mundo,
neste espaço contíguo,
neste paraíso imundo.

Inundado de vontades,
de verdades e de mentiras.
Imundo de falsas humildades,
de tristes cantigas..."

ebola

sentido por I Am No One às 9:52 da manhã | |

quarta-feira, dezembro 29, 2004

Há uma nuvem que me persegue, escura... tão escura...

sentido por I Am No One às 10:52 da manhã | |

terça-feira, dezembro 28, 2004

e....???

Estou de volta de preto, como é normal, é Natal, daqui a uns dias acaba o ano... e?!!!!


... Tive uma prenda que me encheu o ego....

...

...Apeteceu-me partilhar...

...


sentido por I Am No One às 1:39 da tarde | |

Ela e ele


Ela vivia rodeada de vidro
Ele, fechado por grades.
Ela só sentia solidão
Ele, sozinho numa prisão.
E sem perceberem
Começaram-se a amar
Mas tinham um mundo inteiro
A os separar
Só que nada puderam fazer
O coração comandou o seu viver
Cada um no seu mundo
Cada um no seu sofrer
De nada serviu se lamentarem
Como podem um peixe e um pássaro
Se apaixonarem?...

28 Dezembro 2004
Nina
sentido por Ninagasol às 12:27 da tarde | |

Um dia

Levantei-me
Arrastei o resto de mim
Para fora.
Puxei uma outra parte
Para dentro.
Procurei-me entender
Sim, tenho mais um dia por viver...

28 Dezembro 2004
Nina

sentido por Ninagasol às 10:29 da manhã | |

quinta-feira, dezembro 23, 2004

Natal


É Natal.
Dizem…
Mas poderá ser sempre Natal:
Quando um golfinho saltar no mar
Quando uma criança começar a andar
Quando se abre os braços para abraçar
Quando se deseja por desejar
Quando se diz a alguém para não chorar
Quando não se come para partilhar
Quando se ama ao silenciar
Quando não se fala para não magoar
Quando se oferece sem cobrar
Quando se ajuda por gostar
Quando se estende a mão para acariciar
Quando um sorriso brilhar mais que o luar…
Poderá ser sempre Natal,
Se conseguirmos…

23 Dezembro 2004
Nina

A todos, uma feliz época… Natalícia.
Votos de Ninagasol e ebola

terça-feira, dezembro 21, 2004

Uma águia

Fui uma águia.
Transformei-me nela
E entrei pela tua janela
Para que, por momentos
Pudesse estar contigo
Para que os pensamentos
Se tornassem em sensações
Para que não ficassem presas
Todas as emoções.
Voei até ti.
Recebeste-me com um sorriso
Amaste-me intensamente só num tocar
Afinal, nada mais era preciso
Quando não queremos pensar.
Voltei a voar.
Mas trouxe nas asas dessa águia
Uma forma diferente de desejar
Um modo quente de me dar.
Por um instante,
Fui apenas uma águia.

(Para alguém que faz da vida um voo constante. Obrigada pela lição.)

20 Dezembro 2004
Nina


segunda-feira, dezembro 20, 2004

( )




"É fácil apagar as pegadas; difícil,

porém, é caminhar sem pisar o chão." (Lao-Tsé)

Anjos perdidos

"hoje pensei nos anjos
naqueles que tristes são,
sim...
porque uns dançam,
outros riem,
outros choram
e outros há, que tristes ficam a olhar
quem dança, chora e ri
por serem incapazes de olhar por ti...
alma perdida no meio do escuro,
alma escondida, vestida de luto,
alma errante pelos caminhos do ser,
alma triste por saudades ter,
de uma vida que vida não tem..."

ebola

quinta-feira, dezembro 16, 2004

Apenas


Por entre a penumbra matinal

E a maresia nocturna
Encontra-se o estar
E o ficar.
É por entre um fumo
Que não é senão nevoeiro
Que surge o desespero
E a ânsia de mudar.
É ao estar contigo
E longe de ti,
Que me perco neste desejar.
É no rir e no chorar
Que me esqueço que existo
Mas persisto.
É a escrever que digo
O que não quero dizer.
É nas palavras que se soltam
Que não quero sentir.
É um andar para a frente
Mas não sei se caminho.
É aqui, que para esquecer
Apenas choro baixinho…

Dezembro 2004
Nina

...(7)

Part 3...

“Hallucinating I am,
Seeing my dreams come true.
Afraid I am,
Not knowing what to do.

Endless nights I’ve dreamt this dreams
Never meant to become real.
Insane I’ve became with all these fears
Of not being able to happiness feel.


Suddenly I saw it, that old big rope
“Is it able to old my weight?” I wondered
Dying is my destiny, like a soul with no hope.
The question was there, and it had to be answered…

So I climbed that big old oak
To the highest branch that I thought, could old
This tired body, this hopeless soul.
I made the knot and put it around my neck
Like a rude scarf that old rope felt.

My salvation was near
My heart tremble with fear
Has I took one step
To fall asleep in the depth…”

ebola

Depressão, ou talvez não...

Espantada, é a minha cara, a ver-me morrer mais um bocado todos os dias,
curioso, é como fico, ao pensar que consigo reparar nisso...

quarta-feira, dezembro 15, 2004

Hoje...


A cor do céu

Pela manhã
O céu estava encarnado
Da cor de sangue derramado
Da cor duma dor sofrida
Por alguém.
De tarde
Tornou-se laranja distante
Da cor duma lágrima perdida
Da cor de se querer esquecida
Por ninguém.
À noite
Ficou num negro escuro
Da cor da alma do mundo
Da cor do mais profundo
Além.
Pela madrugada
Mudou para o prateado
Da cor dum grito calado
Da cor da espuma do mar.
O céu é duma cor por inventar…

15 Dezembro 2004
Nina

segunda-feira, dezembro 13, 2004

...(6)

Part 2...

“The sounds, the doubts
The signs, memories lost in time
All transformed again in thoughts,
That troubled this weakened mind of mine

So I ran, as quickly as I could
Run outside to elude my fears
And a voice said: ” stare at the window you should…”
And so I saw her, the shadow of my dreams

Soon my face was filled with tears
Can’t tell if happiness or sadness stroke me
Confused I was to see how near
Could some dreams from reality be."

ebola

domingo, dezembro 12, 2004

Cor de guache


Pintei-te no coração

Com a mais bonita cor de guache
Como se com isso achasse
Que nunca irias desaparecer.
Sonhei-te no meu corpo
Num desejo profundo
De te voltar a ter
De que nunca viesses a esquecer.
Amei-te apenas por um instante
Mas com a intensidade
De nunca te sentir distante.
Respirei-te a cada toque
A cada movimento
Como se entrasses em mim
Em cada dor, em cada lamento.
Ansiei-te num tempo
Fora do possível, fora do lugar
Preciso-te
Sem poder nunca mais te alcançar…

12 Dezembro 2004
Nina


sexta-feira, dezembro 10, 2004

Amanhecer

O dia amanheceu
Devagar, lentamente
E eu,
Ainda dormente
Arrastei-me para fora,
Para fora de mim
Para fora de ti.
Terá de ser assim
Amanhecer todos os dias
E deixar para trás
As noites que morreram magoadas
Pelos teus actos, pelas tuas palavras
Sempre tão bem afiadas.
Terá de ser assim
Amanhecer como o sol a cada dia
E não esquecer nunca
Que em miúda eu dizia
Ter o horizonte à espera… de mim.

10 Dezembro 2004
Nina

...(5)

Part 1...

"Walk me trough the night
my fearless heart,
to each wall i turn my sight,
i see all mirrors falling apart.

I keep running between those corridors,
running, until my breath ran out.
I stop then, and watch the doors
all closed but one, who sprays a doubt.

Should i open it and stare,
Should i run from it, or dare!
My fearless heart ain't fearless no more
scared of what it may find, behind that door..."

ebola

...(4)

Há dias em que o que mais anseio é vislumbrar a bandeira de xadrez que assinala o fim da corrida.


segunda-feira, dezembro 06, 2004

... (3)

O medo de perder a alma faz com que me esqueça hoje do que fui no passado e que fuja do que poderei ser no futuro...

domingo, dezembro 05, 2004

Na noite


O frio entrava-lhe na pele

Como se duma rede se tratasse
Sentia a cada passo o peso da alma
Como se a arrastasse.
A noite estava escura

Não havia estrelas, não havia lua
E por mais que caminhasse
Não sentiu paz, não encontrou cura
O vento fazia-a sentir, apenas nua.
Sentiu-se tão perdida
Sentou-se tão sozinha
Chorou tão esquecida.
E então, percebeu
Que não era dela
A vida que viveu.
Levantou-se, prosseguiu
Uma estrada surgiu-lhe de repente
E na escuridão nada sentia
E com o gelo nada via
As noites que viriam, não sabia
Apenas continuou em frente…

5 Dezembro 2004
Nina


Sonhos do fim do mundo

Sentimentos guardados
Totalmente amarrotados
No mais fundo e profundo
Do que se possa ser.
Afectos calados,
Tão aprisionados e magoados
Tão mal amados
Que só doí a dor de doer.
Fuga, tão difícil e penosa
Escolha, tão dolorosa
O que ganhar, o que perder...
Vou até ao mar!
E se ele me levar com ele
Lá, hei-de saber...

Verão 2004
Nina

sexta-feira, dezembro 03, 2004

Estranho jogo



Guido Pencil Art


"Em que parte do mundo estarei eu?
Serei uma promessa,
serei um facto consumado.
Serei um objecto, uma peça
deste estranho jogo, deste estranho "fado".

Em que parte da vida estarei eu?
Que ainda tenho forças para levantar o mundo,
apesar de o "sopro da vontade" já não ter força.
Que ainda tenho sonhos, quando o sono é profundo,
e ainda penso em saltar quando passo por uma poça.

Que lugar é este?
Onde vejo elefantes a voar,
e borboletas de várias cores,
como se de LSD estivesse alucinar
e um doce mundo se estivesse a impor.

Que vida é esta?
Onde vagueio como um demente!
Onde o farol que avisa, não gira,
está morto, dormente,
como eu,
que um dia fui gente..."

ebola

quinta-feira, dezembro 02, 2004

Onde...?

A Promessa- René Magritte

A raiva, o medo

A tristeza, a fúria
A lembrança, o desejo
A incerteza, a revolta
O desespero, a angústia
Onde conseguirei esconder tudo isto?
Para poder então, abrir as asas e voar...

2 Dezembro 2004
Nina

xxxxxxxxxxiu....




Estou em recuperação, se for urgente agradeço que tornem a ligar amanhã....